Um cantinho adorado

  Em Porto Alegre, não pode faltar churrasqueira. Em São Paulo, são as vagas de garagem. E, no Rio, a preferência são as varandas. Essas são as principais características levadas em consideração antes da compra do imóvel, segundo especialistas. Diretor-executivo de Negócios da Carvalho Hosken, Alexandre Fonseca explica que as varandas se incorporaram às moradias brasileiras, sejam em casas ou apartamentos. "No Rio e em Vitória, que são cidades mais quentes, as varandas tendem a ser mais abertas e arejadas. Na Barra da Tijuca, mesmo sendo muito mais ventilada que as demais áreas da cidade, devido ao seu urbanismo mais moderno, as varandas generosas se tornaram uma marca. Em Porto Alegre, por exemplo, não pode faltar churrasqueira na varanda. Em capitais mais frias, como São Paulo e Curitiba, as varandas são mais fechadas e são usadas como solarium no inverno", afirma Fonseca. Diretor operacional da Brasil Brokers Ética, Alanladi Miranda acrescenta que, no Rio, as varandas são cada vez mais utilizadas para eventos, não apenas pela questão da segurança, mas também pelo fato de que está mais caro comer fora. "A pessoa não precisa se preocupar com a Lei Seca, com a violência, pois está em casa, num espaço aconchegante e cada vez mais valorizado", diz Miranda. Alexandre Fonseca ressalta que a varanda pode agregar valor ao imóvel, pois cria ambiente nas moradias com características diferentes das demais, por ser aberta e permitir estar ao ar livre. Fábio Pacheco, diretor da Lopes Rio, lembra que, para o comprador carioca, a varanda é tão importante quanto a vaga de garagem e a suíte. "Praticamente não existem mais empreendimentos lançados sem esses itens. Além disso, área de lazer com piscina e estrutura de segurança no condomínio são necessidades indispensáveis dos compradores", completa.   Fonte: Meia Hora - 29/01/2015