Novos serviços valorizam sites imobiliários

E o mercado de sites de classificados de imóveis vive um momento favorável. Ontem, a alemã Deutsche Telekom selecionou quatro investidores para negociar a venda de 30% de participação no site Scout24, avaliado entre € 1,6 bilhão e € 2 bilhões. Na semana passada, o investidor australiano James Packer comprou 9,4% do site americano Zillow, avaliado em US$ 3,36 bilhões e listado na Nasdaq desde 2011. No ano passado, o site americano Trulia abriu capital na bolsa de Nova York. Ontem, as ações fecharam a US$ 43,18 - uma valorização de 254% desde a abertura de capital. Nos Estados Unidos e na Europa, vários sites imobiliários ampliaram a oferta de serviços e viram seu valor de mercado crescer, superando a casa de US$ 1 bilhão. No Brasil, esses também investem em serviços diversificados para elevar a audiência. A lista inclui oferta de conteúdo, serviços de geolocalização e aplicativos para consulta em dispositivos móveis. O Zap Imóveis, controlado pelas Organizações Globo, já oferecia uma série de serviços, incluindo o indicador de preços Índice Fipe ZAP de Preços de Imóveis Anunciados (produzido em parceria com a Fipe). Agora, a companhia se prepara para lançar classificados on-line de prestadores de serviços ligados ao setor imobiliário. O serviço reunirá anúncios de profissionais como pedreiros, encanadores, faxineiras, pintores e arquitetos. Os profissionais farão um cadastro no site e os seus serviços poderão ser avaliados e indicados pelos internautas. Eduardo Schaeffer, diretor-presidente do Zap Imóveis, disse que o site possui em torno de 350 cadastros de profissionais, que serão avaliados antes de o serviço ir ao ar. "A preocupação é com a qualidade. Não adianta oferecer um número muito grande de profissionais que não realizem um trabalho de baixa qualidade", afirmou. Schaeffer disse que, em média, o internauta leva de cinco a dez anos para trocar de imóvel e as buscas nos sites de classificados duram em torno de seis meses. Fora desse período de procura, dificilmente o internauta visita o site com frequência. Com os classificados de profissionais, a expectativa do Zap Imóveis é estimular os internautas a acessarem o serviço com mais frequência ao longo dos anos, aumentando a audiência, atualmente de 5,5 milhões de visitantes por mês. Como parte da estratégia de crescimento, o Zap Imóveis dá andamento a um plano de investimentos de cerca de R$ 100 milhões até 2015, que inclui o desenvolvimento de novos serviços e a ampliação do total de escritórios. Neste ano, o Zap Imóveis abriu unidades em Belo Horizonte, Campinas (SP), Santos (SP) e Niterói (RJ). A meta é estender a atuação para 20 regiões no prazo de 12 meses. O site tem 350 mil ofertas de imóveis, volume 32% maior que no ano passado, e receita de aproximadamente R$ 50 milhões. A meta da companhia é dobrar a receita até 2015. "O mercado de classificados imobiliários on-line tem muito potencial para crescer", disse Schaeffer. Nicolás Tejerina, executivo-chefe da Navent, controladora do Imovelweb, afirmou que o potencial na América Latina é grande e pode atrair investidores no longo prazo. "Hoje, 10% dos classificados de imóveis são on-line. À medida que a população acessa mais a internet, o mercado de classificados on-line tende a crescer de forma mais significativa", afirmou o executivo. Tejerina disse que a Imovelweb desenvolveu novos serviços e estima que o site crescerá 50% em receita neste ano, para R$ 50 milhões. Ele prevê que o mercado vai crescer de 30% a 35% ao ano até 2015. "O cenário está bastante favorável no médio prazo", afirmou. Brian Requearth, executivo-chefe do site VivaReal, é mais otimista. Para ele, o mercado brasileiro de classificados on-line crescerá de quatro a cinco vezes nos próximos cinco anos. "Nos Estados Unidos, 55% dos classificados imobiliários são on-line. No Brasil, são 10%, há muito espaço para crescer", disse. Fonte: Valor Econômico - 10/09/2013