Programa terá novas regras

Programa terá novas regras

Famílias com renda mensal de até R$ 9 mil poderão ter a chance de adquirir um imóvel com juros mais baixos, dentro do "Minha casa, minha vida". Essa é uma das medidas sugeridas pelo presidente Michel Temer para o programa de habitação popular do governo federal. Hoje, o teto da faixa 3 (renda bruta mensal) é de R$ 6.500. A intenção é ampliar os incentivos para enfrentar a nova realidade econômica.

O preço máximo dos imóveis financiados pelo programa também deverá ter um acréscimo de cerca de R$ 25 mi, passando de R$ 225 mil para R$ 250 mil. Além do Rio, a mudança valerá para as regiões metropolitanas de São Paulo e Distrito Federal. O Ministério das Cidades, responsável pelo "Minha casa, minha vida", ainda não informou quando as novas regras entrarão em vigor.

O diretor de Negócios da Cury Construtora, Leonardo Mesquita, aprovou as sugestões. Para ele, essas medidas em estudo poderão ajudar a impulsionar o setor imobiliário e melhorar as condições de compra de um imóvel novo no país.

- O sonho de muitos brasileiros é comprar a casa própria e, com a implementação dessas novas regras, será possível que mais famílias se adequam ao programa "Minha casa, minha vida" - declarou Mesquita.

Dica do advogado

Para o advogado Ighor Jacinto, o programa tem um regime rígido para a retomada do imóvel em casos de inadimplência. É preciso ficar atento para não deixar acumular três prestações em atraso e buscar o banco para uma renegociação.

Mais acesso aos consumidores

As novas medidas estudadas para o programa "Minha casa, minha vida" já agradam a profissionais da área de construção. O diretor de Marketing e Vendas da MRV Engenharia, Rodrigo Resende, está entusiasmado com as propostas de mudanças:

- Essas novas regras serão importantes, pois, além de ampliarem o acesso dos consumidores ao programa, vão aquecer o mercado.

Resende ainda destaca outro ponto positivo das alterações previstas. Segundo ele, o novo modelo vai ajudar na retomada da economia.

- Essas medidas são muito interessantes para o nosso mercado - avaliou.

É preciso ter cautela!

O consumidor deve estar atento, no momento da contratação do financiamento, ao valor final da taxa de juros e, principalmente, à parcela mensal a pagar. Também é necessário prestar atenção ao tempo do pagamento do imóvel. Prazo menores são os mais indicados.

Especialista destaca os benefícios das mudanças

Quais as vantagens com as mudanças no "Minha casa, minha vida"?

Acredito que a ampliação da faixa 3 do "Minha casa, minha vida" para R$ 9 mil seja favorável ao momento atual em que vive o Sistema Financeiro de Habitação (SFH). A medida criará estímulo à contratação de novos financiamentos, tudo para aquecer novamente o mercado.

O aumento da faixa de renda mensal vai atrair um novo público?

Sim. O público interessado na aquisição da casa própria vai se beneficiar com uma margem de juros mais baixa do que as praticadas no mercado.

O que o governo pretende com essas medidas?

Quer alavancar novamente o setor imobiliário. É ele um dos principais segmentos que impulsionam a economia de um país, e há desaceleração no setor. Toda a economia acabou sendo impactada, por causa da crise mundial, que teve seu ponto de ebulição com a crise imobiliária dos Estados Unidos, em 2008.

Fonte: Jornal Extra - 28/01/2017