Como atrair o inquilino

Como atrair o inquilino

Desde 2012, a oferta de imóveis para locação no Rio aumentou exatos 302%, segundo levantamento divulgado recentemente pelo Sindicato da Habitação do Rio de Janeiro (Secovi-Rio). Junto com isso, veio o desaquecimento do setor imobiliário e a dificuldade de os proprietários manterem os imóveis ocupados. Com o mercado desse jeito, cuidar da apresentação de casas e apartamentos para atrair a atenção dos inquilinos virou uma questão central para quem quer sobreviver à crise.

- Percebo que as pessoas não são muito zelosas. Acham que basta anunciar e pronto. Mas o mercado está diferente e exige que os proprietários pensem de uma maneira mais estratégica, a partir de uma lógica comercial - comenta o vice-presidente do Secovi-Rio, Leonardo Schneider. - Se está numa concorrência, a pessoa precisa saber destacar bem as vantagens oferecidas pela sua propriedade.

De acordo com Alessandro Souza Silva, diretor de Produto e E-commerce do ZAP, a descrição tem que ser a mais detalhada possível. Além das características físicas, o locatário precisa mostrar as vantagens de sua localização.

- Tem que dizer como a região é servida de comércio e escolas, e qual a infraestrutura de transporte oferecida no entorno - detalha ele. - Tudo aquilo que é relacionado à qualidade de vida é muito importante para os inquilinos.

Silva, inclusive, defende que as pessoas divulguem a localização exata da propriedade oferecida.

- Isso facilita a localização nas plataformas on-line e os usuários podem visualizar a área por meio de mapas e aplicativos - explica ele.

O bom e velho português também precisa ser valorizado neste momento. Silva reforça que os cuidados com a correção gramatical e a fluidez do texto são aspectos indispensáveis para que os anúncios cumpram seu papel. O mesmo acontece com a veracidade das informações. Toda a descrição deve ser estritamente fiel à realidade.

A diretora da Precisão Administradora, Sonia Chalfin, acrescenta que os cuidados com o valor cobrado também devem ser redobrados numa época como esta.

- Isso vai ser o primeiro aspecto avaliado pelo cliente. Então, o locatário precisa conhecer bem os preços praticados na região para não cobrar um valor destoante - comenta ela.

A PEQUENA OBRA QUE VALE A PENA

Além de ter mais cuidados com os anúncios, os donos de casas e apartamentos precisam manter os ambientes ainda mais apresentáveis para dar conta da concorrência. A professora Regina dos Santos viveu isso na prática.

- Tenho uma cobertura no Recreio e estava há dois anos sem conseguir fechar um contrato, ainda que estivesse disposta a abater pequenos reparos nos aluguéis. Foi então que percebi que os clientes já queriam encontrar o apartamento "brilhando" - relata ela.
Orientada por uma imobiliária, ela investiu cerca de R$ 7 mil em reformas para melhorar o visual do imóvel.

- Como qualquer produto, a casa precisa ter uma embalagem atraente. Se o piso não está perfeito, isso acaba chamando muita atenção num apartamento vazio. Então, troquei por um novinho e ainda botei uma churrasqueira na área aberta - conta a professora. - Terminados os reparos, demorei cerca de 15 dias para alugar.

A designer de interiores Cris Parisi, que também atua como corretora de imóveis de alto padrão, tem várias dicas para a unidade disponível chamar mais atenção. Segundo ela, um problema constante é que as pessoas ainda não investem em áreas mais escondidas, como cozinha e banheiro.

- Os hábitos do público estão mudando. Os inquilinos não têm mais empregados e gostam cada vez mais de cozinhar em casa. Muita gente, inclusive, tem preferido os imóveis da Zona Oeste, porque já estão mais adequados a essa realidade - observa ela.

De acordo com Parisi, quem busca um imóvel para aluguel também sabe que, se a sala não está perfeita, dá para disfarçar com quadros, móveis e enfeites. Mas com a cozinha e o banheiro é diferente.

- O proprietário precisa investir em iluminação e nos metais. Hoje em dia, com a diversidade de materiais, é possível encontrar bons produtos em grandes lojas a preços mais acessíveis - sugere ela. - É melhor fazer esse investimento, do que ficar com o apartamento encalhado.

TOQUE DE PROFISSIONAL

Depois de deixar os cômodos tinindo, é hora de partir para as fotografias, que devem incluir também as áreas comuns. E, veja bem, você não precisa ser um fotógrafo profissional para deixar seu imóvel bem na foto. Segundo o fotógrafo Denilson Machado, do MCA Estúdio, é possível produzir boas imagens até mesmo com a câmera do celular.

- O primeiro conselho é fazer as fotos durante a manhã, para aproveitar a luz mais suave. Isso deixa os espaços mais claros e agradáveis. Fotos à noite tornam tudo mais sombrio - explica ele.

Se o apartamento estiver ocupado, Machado lembra que é fundamental cuidar dos mínimos detalhes.

- Às vezes, as pessoas vão fotografar o banheiro e esquecem uma toalha mal colocada ou um monte de potes de xampu ao fundo - ilustra o fotógrafo.

Por fim, ele recomenda explorar a amplitude dos cômodos, sem distorcê-los. Na hora de fotografar, busque as linhas retas.

- O ideal é que a câmera não seja posicionada de baixo para cima ou ao contrário, para que as linhas formadas pelas paredes e janelas fiquem paralelas. Para quem tem uma lente grande angular, vale a pena usá-la. Hoje em dia tem até para celular. Só não aconselho a lente olho de peixe, porque causa distorções - finaliza ele.

Fonte: O Globo - 19/02/2017