Azulejos moderninhos: das ruas para as casas

  A arte urbana foi parar dentro das casas. Painéis e quadros feitos sob medida a partir de azulejos com designs exclusivos têm ganhado o gosto de moradores, principalmente da Zona Sul. Tudo começou há cinco anos, quando o grupo de artistas chamado Coletivo Muda começou a fazer intervenções culturais pela cidade, aplicando mosaicos destes azulejos em pilastras, vigas e paredes em vias urbanas. Mas o impacto não foi apenas para os pedestres. Alguns moradores gostaram tanto que começaram a pedir encomendas para suas salas, varandas, quartos e escritórios. E o grupo, claro, topou. As peças para residência são exclusivas e custam a partir de R$ 8 mil. Segundo Rodrigo Kalache, arquiteto e um dos artistas, a maior procura é por painéis fixos, mas há também quem solicite quadros: - Nós vamos à casa da pessoa e avaliamos o espaço e o que ela deseja. A partir disso, criamos algo específico para aquele lugar. Fazemos os desenhos de cada azulejo e depois montamos o mosaico - explica. Um exemplo disso é o trabalho que fizeram em uma casa no Horto, cuja proposta era criar um painel que pudesse ser visto de vários pontos do imóvel. Em outro, no Leblon, a ideia já era outra: uma painel para a varanda que ficava de frente para o mar. O próprio visual acabou virando a inspiração para o design, que ganhou tonalidades de azul e laranja. Ainda de acordo com Kalache, embora o design feito em peça por peça e o conceito sejam os mesmos tanto para arte urbana quanto residencial, as técnicas de produção são diferentes: - Para o material de rua, usamos o azulejos branco comum pintado com tinta spray e estêncil. Já para as casas, o azulejo é feito com tinta mineral e levado ao forno. É a técnica mais tradicional, e os deixa mais resistentes para limpar depois. No caso da rua, isto não é necessário. Além dele, o grupo é formado pelos arquitetos Diego Uribbe e Duke Capellão, e os designers Bruna Vieira e João Tolentino. Ao todo, o coletivo já realizou mais de 80 intervenções no Rio, em outros estados e em cidades internacionais, como Nova York, Lisboa e Buenos Aires. Recentemente, o grupo começou a expôr também.   Fonte: O Globo Online - 20/10/2014