Ao gosto do freguês

  Plantas flexíveis, imóveis com entradas independentes, opções de acabamento e até casas semiprontas são alguns diferenciais oferecidos pelas construtoras para atrair clientes e alavancar as vendas. A ideia é dar a oportunidade de personalizar a unidade ou finalizá-la conforme o bolso e o gosto do morador. Em Muriqui, distrito de Mangaratiba, por exemplo, a Ruba está construindo o Pontal de Muriqui com casas que serão entregues semiprontas, com estrutura e acabamento externo. A parte interna fica por conta do proprietário. Segundo Ariovaldo Rocha Filho, diretor da Brasil Brokers, imobiliária responsável pelas vendas, a grande vantagem é que o cliente pode comprar a unidade com preço até 50% mais baixo. "A pessoa escolhe se deseja a casa pronta, que tem preço médio de R$ 350 mil, ou semipronta, com valores a partir de R$ 180 mil", explica. No Enjoy Prime House, da Labes Melo, no Recreio, estão sendo construídas 128 unidades, divididas em casas tríplex e apartamentos de três andares, com a opção de fazer como se fossem dois imóveis, com entradas independentes. "Chamamos essa tipologia de double family. É ideal para adolescentes ou pais mais idosos, que precisam morar com os filhos, mas desejam privacidade", diz Eric Labes, diretor da construtora. Diretor de contas imobiliárias da agência Perceptiva, Marcelo Fróes destaca que, se, antes, para mudar uma planta de apartamento o futuro morador enfrentava meses de obras, agora a tendência é o cliente definir antes da mudança qual será o tamanho da sala ou do quarto, se a cozinha será americana ou não. "As construtoras flexibilizam cada vez mais suas plantas, os empreendimentos precisam estar ao gosto do freguês." A possibilidade de ter cozinha americana e sala ampliada pode ser vista no Gran Residencial Clube, da PDG, no Cachambi. No Ilimitado, da Calçada, na Freguesia, é possível reverter um dos quartos para ampliar a sala ou a suíte.   Fonte: Meia Hora, Imóveis, 18/09/2014