Lazer sem precisar sair de casa

Comodidade, lazer e, principalmente, um grande alívio para o calor. As temperaturas escaldantes dos últimos verões, que se estendem cada vez mais para as outras estações, elevaram a piscina para o patamar dos principais itens na hora de escolher um imóvel para morar. Com vantagens como economia e segurança, cada vez mais o item de lazer é o grande diferencial entre fechar ou não um negócio. E quem apostou na piscina em casa jura que não se arrepende.

Com as altas temperaturas que os termômetros têm marcado nos últimos anos, uma boa compra ou locação hoje deve levar em conta a área de lazer, principalmente com  piscina. Apesar de atrair todo tipo de pessoa que quer atravessar as estações mais quentes do ano com conforto, famílias com crianças costumam ser o perfil de público que mais procura esse item de lazer, segundo Marcelo Branco, proprietário da Re.Mar Imóveis.

"Apenas para os idosos essas estruturas interessam um pouco menos. Para atender essa demanda, construções mais recentes, de 15 anos pra cá, em sua grande maioria, costumam ter não apenas uma piscina, mas uma área de lazer completa, com play, espaços gourmet, entre outros itens que em épocas de calor fazem o maior sucesso e ficam bastante movimentados", explica Branco.

A estrutura promove integração entre os moradores, entre outras vantagens, segundo Marcelo, que lembra ainda que, apesar das atualizações que as edificações antigas costumam realizar, por questões de despesa, raramente um prédio que não tem uma piscina vai construir uma.

"As piscinas, no entanto, quando não fazem parte da estrutura, ficam de fora dessa atualização, porque se trata de uma estrutura dispendiosa - com energia, funcionário, água - impactando na taxa de condomínio, o que muitas vezes não interessa aos moradores. Mas se por um lado gera despesa, uma piscina no prédio poupa tempo. Se compararmos com um clube, por exemplo, devemos levar em consideração o transtorno de  enfrentar o trânsito complicado dos finais de semana e a economia. Mas o fator que mais pesa, sem dúvida, é a segurança, para essas pessoas nada paga o prazer de poder se divertir sem se preocupar com a violência. Prédios antigos costumam modernizar suas áreas de lazer, com ar-condicionado, espaços, gourmet e churrasqueiras", ressalta Marcelo.

Quando se casou há dois anos, a assessora de imprensa Michele Reis, de 27 anos, começou a procurar apartamentos para alugar tendo como critério principal um valor que coubesse no orçamento da família que estava começando. Depois de muita avaliação, junto com o marido, ela reviu as despesas e passou a levar em consideração os hábitos e gastos dos finais de semana para decidir pelo melhor imóvel.

"Passamos a dar prioridade a um condomínio com toda estrutura de lazer, principalmente piscina. Por isso não hesitamos em alugar o imóvel em que estamos hoje. Moramos longe de toda família e a nossa casa é o destino de férias deles. A área de lazer garante nossa diversão com idas ao parquinho, com o sobrinho, ou à piscina, com cunhadas, cunhados, principalmente por causa do calor daqui, que eles não estão muito acostumados", explica Michele.

A piscina pode ser um estímulo para sair de quatro paredes e aproveitar melhor os momentos de folga, segundo Reis, que considera desestimulante o fato de sair de casa sabendo que vai enfrentar trânsito, praias e clubes lotados.

"É muito mais rápido, prático e fácil usar apenas o elevador como meio de transporte. Fico feliz por ter casado com uma pessoa que, assim como eu, não curte tanto praia. Preferimos mil vezes uma piscina, sem contar que é muito mais cômodo e econômico ficar na piscina do seu próprio condomínio", declara a assessora.

Além de ser um inquestionável atrativo nos imóveis, a área de lazer com piscina representa hoje um dos principais fatores de valorização das unidades, em alguns casos, maior até do que a própria planta do imóvel, segundo Alyne Figueiredo, supervisora do Grupo Imóveis.

"É inquestionável que a existência da piscina significativa valorização, mas é difícil mensurar um percentual de valorização, pois vai depender das características específicas da piscina existente, seu estado de conservação, tamanho, acabamento, bem como ao estado geral e às características do imóvel como um todo", afirma a supervisora do Grupo Imóveis.

O lazer foi uma prioridade, para o casal Natalia Cutrim, de 31 anos, e Felipe Cutrim, também com 31, na hora de escolher um apartamento para comprar. "A piscina pesou muito na escolha, porque a gente procurava essa possibilidade de poder ter momentos de lazer sem necessariamente ter que sair de casa", explica Natalia que, além da piscina do condomínio, tem a de sua cobertura.

Os espaços de lazer em casa ganharam ainda mais importância na vida do casal com a chegada de Maite, de 3 anos, e de Theo, de 2.

"Em qualquer momento de folga as crianças querem pular na água. Estão sempre aproveitando e se divertindo. Observo que muitos amigos precisam se programar muito para sair e ir a uma praia ou piscina em clubes nesses dias de calorão que tem feito. Mas pra gente é muito simples, está ali disponível sempre que sobra um tempinho", diz a empresária.

A piscina se tornou um item tão importante que, de acordo com Leonardo Mesquita, diretor de negócios da Cury Construtora, todos os empreendimentos em Niterói e São Gonçalo já possuem o conceito de condomínio-clube, ou seja, incluem piscinas nos projetos.

​"Todos os nossos projetos já contam com estrutura de lazer com piscina, por isso, o preço não é alterado especificamente por causa disso. Por outro lado, a piscina agrega valor para o imóvel, fazendo com que ele se valorize e tenha liquidez, já que é o item mais procurado das áreas de lazer", conclui Mesquita.

Fonte: O Fluminense, Habitação, 11/abr