Sobre o aplicativo que vende imóveis

SOBRE O APLICATIVO QUE VENDE IMÓVEIS - Amigos, sou forçado a me pronunciar sobre o tal aplicativo que quer vender imóveis sem corretor. Muitos colegas estão nos questionando a respeito. Quero dizer aos nobres colegas que há 53 anos, desde que fundamos legalmente nossa profissão, inúmeras tem sido as tentativas de desestabilizar e até de desregulamentar nossa atuação. Só portais de vendas diretas já conheci pelo menos dez. Nenhum prosperou. Nenhum nos derrubou. Esse aplicativo será apenas mais um. Falou-se muito no tal UEBR IMOBILIÁRIO. Cadê ele? Além do mais, é muito diferente alugar um carro (seja TAXI ou UBER), em que basta você entrar e sair rodando, e depois pagar pelo serviço, do que comprar ou alugar um imóvel, cujas ações são muitas e muito mais complexas.
Não há como dispensar o corretor de imóveis, especialmente se for um bom profissional. Vamos esquecer esse aplicativo e trabalhar, e melhorar nossos conhecimentos. Nos qualificar. Se nós esquecermos esse aplicativo, mais que depressa ele será esquecido pelo povo. Se, ao contrário, ficarmos falando sobre ele, que é exatamente o que espera o seu criador, aí sim ele poderá ter algum sucesso. Pensem nisso, por favor. Vale dizer que quanto mais falamos nesses dispositivos, mais parece à população que estamos com medo e, portanto, o negócio deve ser bom mesmo. Estaremos despertando uma curiosidade que hoje não existe. Se hoje poucas pessoas sabem do tal aplicativo porque ouviram sobre ele na TV, se continuarmos a falar sobre ele, daqui a pouco serão milhares a saber sobre o assunto. Façamos um pacto, esqueçamos esse dispositivo por trinta dias. Aposto que no dia seguinte ninguém se lembrará dele. É isso. Abração e bom final de semana. Texto de João Teodoro da Silva - Presidente do Cofeci (Conselho Federal de Corretores de Imóveis)