• Homepage
  • >
  • Creci
  • >
  • Ser mãe é ter esperança que dias melhores virão

Ser mãe é ter esperança que dias melhores virão

15a4efbe-3df6-427c-a602-f301d55b4489

 

Não poder abraçar alguém especial tem sido uma difícil rotina para muitas pessoas na pandemia do coronavírus. Conheça a história da corretora de imóveis que na semana do Dia das Mães está impossibilitada de se aproximar, dar um beijo e um abraço na filha

Falar que o Dia das Mães representa uma data especial é comum, mas é sempre importante dizer ainda mais quando histórias de impacto são contadas. E neste ano, a trajetória contada será da corretora de imóveis, Maria da Gloria Teixeira Coelho, mãe da pequena Isabella, de 7 anos. A mensagem é de superação, de acreditar que o futuro será melhor. Que após a tempestade, será possível navegar em um mar sereno, de águas tranquilas.

Em plena pandemia do coronavírus, e na semana em que todas as mães são celebradas, Maria da Glória, está de isolamento total, pois foi diagnosticada com a doença e está distante da pessoa mais importante de sua vida: a filha Isabella. Uma situação difícil e que ninguém gostaria de passar.

Mas ser mãe é ter esperança de que tudo vai dar certo. Nesse caso, diante da pandemia que o mundo está passando, Maria da Gloria acredita que em breve tudo será superado, nenhum coronavírus será capaz de diminuir o otimismo de que dias melhores virão:

- É um período difícil, estar afastada da minha filha nesse momento é bastante complicado, mas o meu recado é de não desistir. É a hora de demonstrar força e a minha força é pensar na minha filha. Tudo isso vai passar e lá na frente vamos estar juntas contando histórias de como vencemos esse obstáculo.

Maria da Glória destaca que o momento também é de esperança para o mercado imobiliário, com uma retomada após a pandemia. Especialista nos segmentos de locação e administração, ela se declara uma apaixonada pela profissão de corretor de imóveis:

- Minha maior satisfação é realizar o desejo das pessoas de estarem em um lar, mesmo que seja locação, até porque muitas pessoas primeiro alugam para ter a experiência de morar no lugar e em seguida acabam comprando a unidade, quando têm a oportunidade.

A corretagem de imóveis foi determinante inclusive para Maria da Glória conseguir aliar a profissão com a maternidade, atendendo os clientes com eficiência e tendo o privilégio de estar próxima da filha, acompanhando o seu desenvolvimento.

E essa proximidade faz com que Isabella seja só elogios à profissão da mãe, se declarando, inclusive, como uma “corretora mirim”:

- Gosto da profissão da mamãe porque tenho ela sempre por perto. Mamãe consegue me levar e buscar no colégio. E é com esse trabalho que ela consegue comprar os brinquedos que eu quero. Eu gosto de brincar de atender clientes pelo telefone, sei até fazer a ficha.

Da relação com a filha, a corretora de imóveis consegue tirar grandes aprendizados que aplica na profissão, principalmente nos dias atuais em que se vive uma pandemia:

- Depois que eu fui mãe mudei muito o meu jeito de ser no trabalho, passei a ser mais paciente, a ouvir mais, a ser mais carinhosa, menos crítica, é até um comentário que outros colegas de profissão fazem, que eu mudei muito. Na verdade, a Isabela me mudou muito.

Com certeza esse momento difícil vai passar! Saúde para a Maria da Gloria, felicidades para pequena Isabella e que esse abraço de mãe e filha possa acontecer o mais breve possível.

Feliz Dia das Mães!

 

 

Fotos: Arquivo Pessoal