Nova redução da Taxa Selic

O Banco Central, no dia 17 de junho, baixou novamente a taxa Selic que é a taxa básica da economia. Desta vez a redução foi de 3% para 2,25%, representando o menor índice histórico. A decisão foi novamente tomada nesse momento para estimular a economia no período de pandemia. Lembrando que o último corte aconteceu recentemente, no dia 06 de maio.

Segundo o COPOM (Comitê de Política Monetária) a economia precisa de um estímulo monetário, e inclusive especialistas apontam que ainda há brechas para possíveis novos cortes ainda esse ano, mesmo que de forma mais reduzida. Esse foi a oitava redução seguida e o motivo é justamente a preocupação com as consequências que a pandemia do coronavírus estão trazendo para a economia.

A baixa na taxa básica da economia influencia diretamente nas taxas de juros dos bancos, tornando mais fácil o acesso ao crédito.

- Para aqueles que irão comprar um imóvel com auxílio de um financiamento imobiliário, a baixa das taxas de juros das instituições financeiras, que seguem a taxa Selic, é uma boa oportunidade no momento. São atrativos aliados à grande demanda que mesmo antes da pandemia estava reprimida. O mercado será reaquecido após a passagem desse momento conturbado - comenta o diretor do Creci-RJ, Laudimiro Cavalcanti.

Apesar de mostrar uma boa notícia para aqueles que buscam baixas taxas para financiamento imobiliário, a redução da taxa Selic impacta de maneira contrária aqueles que têm parte de seu dinheiro aplicado tanto na poupança como em outros investimentos e que podem sair prejudicados, em relação à rentabilidade.

- O índice de 2,25% ao ano é uma remuneração muito baixa para quem está com dinheiro aplicado. Uma taxa equilibrada estimula a aplicação, já o contrário pode trazer certa preocupação. É positivo para quem irá fazer um financiamento imobiliário nesse momento - analisa o presidente do Creci-RJ, Manoel da Silveira Maia.

Uma alternativa nesse momento para os investidores é recorrer justamente a compra de imóveis, o que pode ser uma boa notícia para o setor, como explica o economista, Eduardo Reis.

- A redução da taxa do juros é muito boa para o mercado imobiliário, apesar de que a crise atual deve ser considerada. Todos os setores produtivos estão sofrendo muito e o setor imobiliário também sofre na crise. Mas a redução da Selic de certa forma representa uma baixa no custo do financiamento imobiliário. Por outro lado, a baixa da Selic significa que mais dinheiro está em circulação na economia, e também os agentes, famílias e consumidores de uma forma geral tendem a ter menos estímulos para fazer aplicação em produtos financeiros e acabam optando em muitos casos por ativos reais, pois passa a ficar menos interessante deixar o dinheiro parado rendendo juros. O mercado imobiliário em situações normais tende a ser uma boa alternativa para quem busca ter rentabilidade, quando os juros estão baixos há uma tendência de que o mercado imobiliário passe a ter uma valorização.