• Homepage
  • >
  • Creci
  • >
  • Corretores de imóveis intensificam combate a profissionais sem registro

Corretores de imóveis intensificam combate a profissionais sem registro

  Foi realizada na tarde de hoje (24), em Volta Redonda, uma confraternização dos corretores imobiliários do Sul Fluminense. O evento é realizado anualmente para comemorar o Dia do Agente Imobiliário e estreitar os laços entre os profissionais da região. Este ano foi decidido que uma das metas para a nova diretoria do Creci (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis) seja o aumento do combate aos "Zangões", pessoas que exercem a profissão sem ter o registro profissional. O delegado titular do Creci, Emil Savelli, disse que o problema não afeta somente os profissionais, mas também os compradores, pois eles podem acabar lesados. Ele ainda ressaltou que a pratica é considerada contravenção penal, passível de multa e prisão. - Existem muitos "zangões" atuando no estado, pois nos últimos anos eles usavam de política e outras ferramentas do gênero para poder exercer a profissão ilegalmente. Mas eles não podem ser considerados profissionais, pois não têm como conceder garantias aos compradores, diferente de um profissional credenciado. Essa prática é uma contravenção penal passível de multa e até mesmo prisão, e se você perceber que está sendo vítima desse tipo de pessoa pode alertar a polícia- citou. O delegado do Creci também citou que os profissionais do ramo imobiliário devem passar por um treinamento e realizar provas para conseguir o registro. Ele ainda ressaltou que, atualmente, existem 374 corretores legalizados na região, mas que o número tende a aumentar, pois existem profissionais realizando a formação. - Hoje temos 374 corretores legalizados, e mais alguns que estão realizando a capacitação no Rio para poder exercer a profissão. Hoje nós indicamos para quem quer ser corretor que procure o Sidimóveis da cidade do Rio de Janeiro para poder realizar o curso de formação profissional. No total, contando as aulas e as provas, o curso leva entre 120 e 150 dias, dependendo do aluno, mas por se tratar de uma instituição conceituada vale a pena - disse. O delegado da 93ªDP, Antônio Furtado, ressaltou o apoio da Polícia Civil para encontrar quem pratica o crime de exercício irregular da profissão, que é realizado na cidade. Ele ainda confirmou que a prática é contravenção penal passível de multa. - O problema que os profissionais estão tendo é serio, pois os "zangões" estão cometendo uma contravenção prevista no artigo 47 do código penal. Mas a Polícia Civil vai atuar junto ao Creci para autuar quem estiver praticando este tipo de infração, pois só assim vamos conseguir coibir quem faz isso. Nós tivemos uma boa experiência com os "flanelinhas", mas uma ordem judicial nos impediu de dar prosseguimento, mas no caso dos corretores vamos continuar com esse trabalho de forma constante, pois mesmo não sendo passível de prisão é necessário responder a um inquérito - disse. Fonte: Diário do Vale - 24/09/2013