Terraço compartilhado: a nova moda de Nova York

Você mora em um apartamento em meio ao caos urbanos, mas quer tomar um solzinho ou fazer um churrasco no quintal de casa? Em Nova York, algumas empresas já deram solução para isso e estão lucrando, diga-se de passagem. De olho em um novo nicho de mercado, a oferta agora é para quem, mesmo morando no subúrbio, não quer abrir mão de certas regalias de condomínios caros. Um edifício de 229 apartamentos de um e dois quartos localizado em Williamsburg, área moderninha do Brooklyn, está entre os primeiros a oferecer este de tipo privilégio, segundo o New York Times. De tijolos vermelhos, com grandes janelas e sete andares de altura, o prédio - previsto para ser concluído no mês que vem - terá uma área de convivência... no terraço. Como nas áreas comuns de grandes condomínios cariocas, a grande plataforma do telhado também terá várias divisões. Em uma delas, haverá espaço para fazer churrasco, tomar sol, um chuveiro ao ar livre e até local certo para os cachorros fazerem xixi. Em outro ambiente do telhado compartilhado, haverá um pátio ao ar livre, quadra de bocha e área de socialização. No térreo do prédio também estão previstos restaurantes, cafés e lanchonetes. O prédio ainda contará com dois ginásios com uma quadra de basquete coberta, uma grande sala de bicicleta e vários salões. Um detalhe é que 46 das 229 unidades serão reservadas para inquilinos de baixa renda. Os apartamentos contam com bancadas de pedra de quartzo e armários grandes, e cada unidade tem máquinas de lavar e secar roupa e de lavar louça. Para David J. Maundrell, fundador e presidente da empresa que está comercializando os imóveis, este tipo de loft costumava atrair jovens artistas, mas agora é também procurado por famílias com crianças e jovens profissionais de áreas diversas. Mas, claro, tantas regalias têm seu preço. O valor do aluguel no novo prédio será compatível aos preços de Manhattan, o que é bem caro, se comparado com os preços em Williamsburg. A média para dois quartos no novo edifício vai ser de US$ 4.500 (RS 10.350) por mês. No bairro, os aluguéis giram em torno dos US$ 3.625 (R$ 8.340). Nada estranho para Eric Hantman, que lida com vendas e aluguéis no Brooklyn e Manhattan. Segundo o corretor, o sucesso dos edifícios de aluguel com regalias em Manhattan provam que algumas pessoas estão dispostas a pagar caro por estes privilégios. "Há pessoas que vivem em Manhattan, mas querem viver em Williamsburg e estão dispostas até a pagar os preços de Manhattan por lá", garantiu em entrevista ao New York Times. Fonte: O Globo Online, Morar bem, 13/09/2013