• Homepage
  • >
  • Mercado
  • >
  • Rio recebe certificado de Patrimônio Mundial da Unesco

Rio recebe certificado de Patrimônio Mundial da Unesco

rio-recebe-certificado-de-patrimonio-mundial-da-unesco

RIO - O Rio de Janeiro recebe esta tarde o certificado de Patrimônio Mundial, na categoria Paisagem Cultural. O título da Unesco, recebido em 2012, é entregue oficialmente numa cerimônia no Centro de Visitação das Paineiras. Durante a cerimônia foi empossado o comitê gestor, que vai cuidar da preservação da paisagem. A orla de Copacabana, o Parque do Flamengo e o Jardim Botânico estão entre os locais que deram ao Rio o título.

O certificado oficial demorou quatro anos para ser entregue ao Rio porque, após a vitória da candidatura da cidade, foi preciso que as autoridades fizessem o dever de casa e apresentassem um relatório detalhado mostrando como o patrimônio será preservado.

— Tivemos que explicar como será o monitoramento dos sítios, estabelecer indicadores. O documento foi entregue em fevereiro de 2014, mas a Unesco só o avaliou no ano seguinte. Como ele foi aprovado ano passado, só agora está tudo oficializado — explica Marcelo Brito, diretor do Departamento de Articulação e Fomento do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

No documento entregue em 2014, o Rio de Janeiro se comprometia a, entre outros itens, recuperar monumentos do Parque Nacional da Tijuca, como fontes, bicas e capela, e reformar os postos de salvamento da orla de Copacabana.

— Os maiores desafios são o Parque do Flamengo e a orla de Copacabana. Os quiosques têm um padrão definido, e temos que fiscalizar isso. Não pode ter puxadinho, não pode ter antenas de celular nos postes do Parque do Flamengo. A Unesco é muito rigorosa — diz Washington Fajardo, diretor do Instituto Rio Patrimônio da Humanidade, lembrando que o título pode ser cassado se a paisagem for alterada de forma significativa.

Caberá ao Comitê Gestor do Sítio Patrimônio Mundial empossado nesta terça zelar pela preservação. Há, segundo Brito, bastante trabalho pela frente. De agora em diante, será preciso enviar documentos anualmente à Unesco, que fará visitas periódicas à cidade para saber se não houve modificações na paisagem.

Fonte: Jornal O Globo - 13/12/2016