Quando mudar compensa

  Por mais simples que seja, qualquer obra está sujeita a virar sinônimo de dor de cabeça, bagunça, sujeira e gastos além do previsto. Uma maneira de minimizar esse impacto no dia a dia de uma casa em obra é optar pela colocação de piso sobre piso, em vez de apostar no quebra-quebra. Quem tem receio de que essa opção desvalorize o imóvel - já que alguns centímetros dos cômodos são perdidos - não precisa se preocupar. A redução é tão insignificante que não implica desvalorização do bem. - Até agora, não tivemos negociações de venda em que esse foi um fator de desvalorização do imóvel - explica Gustavo Araújo, coordenador de Compra e Venda da administradora Apsa. Antes de tomar essa decisão, é preciso analisar algumas vantagens e desvantagens. O principal ponto positivo é a redução no tempo da reforma e, consequentemente, a economia na mão de obra. - No final, a diferença será muito pequena no valor gasto com material. A argamassa usada para colocar piso sobre piso, por exemplo, é mais cara do que a comum. Mas economiza-se em tempo e mão de obra. Num apartamento de dois quartos, leva-se de uma a duas semanas para quebrar tudo, tem que contratar pedreiro para o quebra-quebra, ensacar o entulho e levar para a caçamba. Colocando piso sobre piso, você ganha essas duas semanas - enumera a arquiteta Michelle Wilkinson. Ela explica que o primeiro passo é avaliar o estado do piso existente no imóvel: - Só se coloca piso sobre piso quando o existente está bem preso e nivelado. Se a pessoa bater e perceber que ele está oco ou soltando, o novo também vai soltar. No caso de ser uma peça ou outro só desprendendo, vale a pena fixá-la, já que o morador vai reduzir o tempo da obra. Rapidez na obras: de 50 a 60 metros quadrados de revestimento podem ser colocados somente num dia.   Fonte: Extra - 22/02/2015