• Homepage
  • >
  • Mercado
  • >
  • Google Street View mostrará o Rio a partir das águas da Baía

Google Street View mostrará o Rio a partir das águas da Baía

  Os principais pontos turísticos do Rio estarão disponíveis, em breve, para serem admirados a partir de qualquer lugar do mundo, e com um visual inusitado: de dentro da Baía de Guanabara. Com a ajuda de um stand up paddle (SUP) o Google utilizou o trekker - mochila equipada com 15 lentes que tiram fotos simultâneas a cada 2,5 segundos - para captar imagens para o Street View. É a primeira vez que o trekker é utilizado num SUP. O dono do "olhar" foi o atual campeão mundial do esporte, o brasileiro Caio Vaz: - Foi uma surpresa. Recebi o e- mail com o assunto Desafio do Google, fiquei curioso e topei. Todo mundo vai poder ter esse privilégio de ver o Rio de um outro ângulo, em cima de um SUP, no meio da Baía, um lugar incrível. Você tem vários cartões postais por todos os lados. Para realizar a captação das imagens, Vaz testou o uso do equipamento, que pesa 20 kg, e chegou a ficar apreensivo. Esta nova visão ainda não tem data para entrar na plataforma do Street View. A ideia foi o ponto de partida para a atualização das imagens dos principais pontos turísticos do Rio até as Olimpíadas. Responsável pelo Street View no Brasil, o engenheiro Tomás Nora explicou a escolha pela Baía de Guanabara. - Pensamos em algo icônico para começar a atualização das imagens dos pontos turísticos da cidade, que representasse bem o Rio de Janeiro, um ângulo diferente da cidade. Já tínhamos algumas imagens feitas nas areias das praias, mas, da Baía de Guanabara, é algo totalmente diferente. Eu, que não sou do Rio, fiquei encantado, pois não é comum ver essas paisagens. Em entrevista à Globo News, Nora disse que, além dos pontos turísticos, imagens de todas as ruas do Rio serão refeitas. O projeto incluirá ainda locais onde acontecerão os Jogos: - Todos os parques olímpicos, as partes internas dos ginásios, tudo vai ficar pronto para as Olimpíadas. Não temos ainda uma data de lançamento, mas, com certeza, antes das Olimpíadas estará disponível. Para Tomás, o papel da plataforma é permitir que qualquer pessoa, em qualquer parte do mundo, conheça um lugar sem estar necessariamente lá. - O nosso produto é pensado para o usuário, para que todas as pessoas tenham acesso a todos os lugares e possam conhecer um pouco, mesmo não estando lá. É mais uma peça do nosso espelho virtual do mundo. Vamos usar a mochila para outros pontos turísticos e levá- la onde o carro não chega.   Fonte: O Globo - 29/01/2016