• Homepage
  • >
  • Mercado
  • >
  • Condomínios: para não acabar o ano no vermelho, planejamento deve começar hoje

Condomínios: para não acabar o ano no vermelho, planejamento deve começar hoje

Daqui a alguns dias entraremos no último trimestre do ano e para os condomínios que ainda não organizaram suas contas é melhor correr para não terminar o ano no vermelho. Depósito do 13º salário e gratificações a funcionários no fim do ano, somados ao acerto com a Receita Federal no primeiro trimestre de 2014 e à elaboração da proposta orçamentária para o próximo ano podem deixar um rombo no caixa, se essas despesas não forem planejadas desde já. Além disso, os condomínios devem estar preparados para o atraso no pagamento de alguns moradores que viajam no período e esquecem da taxa. Planejamento, portanto, é a palavra de ordem para um caixa saudável. E ele deve começar já. Cristiane Salles, gerente geral da Protel, ressalta que o ideal é que o planejamento seja feito ao longo do ano. Para quem não fez, esta é a última chance, pois não se trata apenas de reunir documentos, mas de se preparar para as oscilações de caixa comuns no fim e no início de cada ano, e também de começar a selecionar as propostas de serviços e obras previstas para o ano seguinte. — A maioria das assembleias de condomínios para apresentar o planejamento orçamentário acontece entre março e abril. E a pesquisa para avaliar os melhores contratos, que é muito importante, toma um bom tempo. Por isso é preciso começar já — explica. Ovídio Bomfim, diretor da Paladino - Soluções em Negócios Imobiliários, acrescenta que, além dos gastos extras com folha de pagamento e encargos sociais, corre-se o risco de entrar menos dinheiro no caixa do condomínio. Isso porque no período entre Natal e carnaval o número de moradores que viaja é alto e muitos esquecem ou deixam para acertar a taxa quando retornarem das férias. A orientação dele é ratear e cobrar com antecedência as despesas extras de fim de ano, como gratificações e ornamentação natalina. Angélica Arbex, gerente de relacionamentos da Lello Condomínios, completa que, a partir de setembro, é importante também começar a reunir documentos para entrega de declarações obrigatórias e preparar a realização da assembleia que irá aprovar o orçamento do prédio para 2014. — O fim do ano tem várias despesas que precisam ser programadas. Neste período, o caixa sofre uma oscilação muito grande, pois o 13º salário dos funcionários é pago em novembro e dezembro e há um número maior de colaboradores que saem de férias. Em alguns estados, ainda tem o dissídio dos funcionários. Outro item importante para começar o planejamento, segundo ela, é que já no primeiros trimestre do ano os condomínios têm que acertar as contas com a Receita Federal. Cada um tem o seu calendário, mas todos são nos três primeiros meses. Angélica explica que é necessário reunir até março todos os documentos e guias para a entrega da Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte (Dirf) e o Informe de Rendimentos dos funcionários e prestadores de serviço, e a Relação Anual de Informações Sociais (Rais), que realiza o controle dos registros do FGTS de funcionários e da arrecadação e concessão de benefícios previdenciários. — A documentação costuma ser extensa e precisa estar em ordem o quanto antes, para a elaboração da declaração e cumprimento do prazo legal. Fonte: O Globo On Line - 24/09/2013