"Call Centers" fazem crescer mercado imobiliário

A necessidade de otimização dos custos de ocupação de espaço, com forte atividade dos setores da informática e call centers, está a dinamizar a procura de espaços para escritórios.
A procura de espaço para escritórios em Portugal,  nomeadamente em Lisboa Porto está a ser dinamizada sobretudo por empresas da área informática e por call centers de apoio a diversos tipos de atividade.
 
De acordo com a consultora imobiliária Cushman & Wakefield (C&W), o terceiro trimestre de 2014 foi o mais forte, até à data, com a ocupação de 37.240 metros quadrados.
 
O principal fator de dinamização deste segmento do mercado imobiliário "continua a ser a necessidade de otimizar custos de ocupação, com forte atividade dos setores de informática e call centres". A empresa nota ainda que os ocupantes têm cada vez maior preferência por imóveis de "boa qualidade", o que significa que cada vez menos se recorre a antigos prédios de habitação para a instalação de empresas.
 
Grupos econômicos agrupam-se num único sítio
 
Por outro lado, existe também uma tendência de consolidação "em que grupos econômicos procuram localizar as suas empresas num único sítio", sublinham os analistas da C&W.
 
No que respeita ao mercado do retalho, a consultora imobiliária explica que o crescimento nas vendas se mantém positivo já há quase um ano e que estabilizou. "A procura continua particularmente focada nas localizações prime (mais caras) de centros comerciais e comércio de rua, com as rendas a manterem-se estáveis ao longo do trimestre".
 
Impulsionado pelos sinais de crescimento econômico que começam a surgir, também se começa a sentir algum dinamismo no segmento dos espaços industriais, mas não tão visível como noutras áreas do imobiliário. Para potenciais ocupantes deste tipo de espaços a boa notícia é que há uma tendência para manutenção da estabilidade das rendas.
Fonte: Expresso - 11/11/2014