<




Um mercado imobiliário pós-graduado

Saiba por que uma especialização é importante para o corretor de imóveis no cenário do mercado atual

O profissional moderno deste século tem o pensamento de crescer, se destacar e desenvolver uma carreira sólida. Todos aqueles que entram no mercado de trabalho querem trilhar o caminho do sucesso e ter resultados mais positivos. Afinal, quem quer se debruçar sobre um serviço, dedicar horas e dias em determinada função e não ter reconhecido seu esforço?

Mas para que isso realente aconteça, o primeiro passo que se deve dar em direção ao sucesso é a busca pela qualificação e especialização. Além de frequentar cursos, palestras e workshops, o profissional deve também escolher uma graduação universitária para definir o destino correto e aonde quer chegar. Porém, hoje, o mercado anda tão competitivo que é preciso mais do que isso.

A experiência e o aprendizado obtidos nos bancos das universidades já estão longe de serem suficientes para garantir o posicionamento dos profissionais no mercado de trabalho. É aí que entra em cena a Pós-graduação, que é uma especialização em determinado segmento, uma ampliação de conhecimentos teóricos e práticos para que o profissional desempenhe sua função com mais ferramentas técnicas e alcance resultados positivos.

É possível escolher dois caminhos: a especialização Lato Sensu ou o MBA (Master Business Administration). O primeiro consiste em um curso que aperfeiçoa aspectos de uma área específica, cujo profissional deseja se aprofundar. O MBA tem o mesmo foco, mas é voltado a profissionais com mais de três anos de experiência e é destinado à área de gestão empresarial e negócios, com abordagem objetiva no mercado de trabalho.

Para a especialista em RH, Fátima Ferreira, a especialização na carreira de um profissional hoje é fundamental:

– Estamos vivendo um momento diferenciado no que diz respeito à educação. Estamos na chamada Era do Conhecimento. Não se pode pensar em encerrar os estudos. Para quem quer ter espaço é necessário ter um aprimoramento constante.

Segundo a especialista, o mercado hoje já espera que o profissional tenha essa qualificação:

– O mercado já olha para a Pós-graduação como uma obrigatoriedade, é esperado que a pessoa já tenha essa formação. Isso por que profissionais que estão se Pós-graduando e continuando seus estudos têm características valiosas para as empresas.

No mercado imobiliário já existem há algum tempo especializações nesse sentido. E o corretor de imóveis deve buscá-la. Paulo Quintanilha, corretor de imóveis, administrador e professor, recorreu à Pós-graduação para adquirir mais conhecimento e se destacar.

– Eu sou corretor de imóveis há mais de uma década e percebi que deveria me aprofundar no estudo dos negócios imobiliários. Eu procurei uma Pós-graduação para essa qualificação e deu muito resultado. Pude compreender melhor todo o ramo da corretagem de imóveis, além de ampliar a minha visão sobre o setor no Brasil e no mundo. Realmente foi um ganho excepcional.

Quintanilha explica que os resultados começaram a aparecer assim que ele começou a se especializar:

– O impressionante é que muita gente acha que estudar não dá resultados imediatos. No meu caso, e no de muitos outros colegas, os frutos do estudo apareceram rapidamente. Com mais conhecimento, fui convidado para ser gerente numa imobiliária, onde alcançamos muitas metas, logo em seguida me chamaram para ser sócio de uma incorporação e depois apareceram vários convites para participar de empreendimentos do setor imobiliário. Ou seja, muitas oportunidades e portas se abriram assim que comecei a me dedicar aos estudos.

 

Especialização no mercado imobiliário

 

Dentro dos diversos cursos de Pós-graduação existentes para o corretor de imóveis o que mais se destaca é o de Negócios Imobiliários. Ele amplia a visão do profissional nos mais diversos subsetores do mercado e proporciona ao estudante uma perspectiva mais aprofundada do setor.

Alguns cursos também se destacam por formar um perfil empreendedor, para atuar no segmento imobiliário de maneira a gerenciar seus próprios negócios, além de construir conhecimento a partir de disciplinas que estimulam a criatividade do estudante.

Segundo a coordenadora do curso de Pós-graduação em negócios jurídicos, empresariais e imobiliários da Universidade Severino Sombra, Margareth Fernandes, a formação de um profissional que atua na área imobiliária é fundamental:

– Hoje nós temos corretores que tem graduação em diversas áreas. São advogados, administradores, engenheiros e até mesmo graduados em Negócios Imobiliários. Uma especialização nesse segmento é fundamental para definir o caminho específico que ele quer seguir. Esse curso dá a ele um direcionamento na carreira, além de ampliar a sua visão sobre o mundo empresarial.

Entre as formações curriculares que mais se destacam na Pós-graduação em Negócios Imobiliários, as matérias principais versam sobre os fundamentos de marketing aplicado ao setor imobiliário, engenharia econômica, economia e mercado imobiliário, negociação empresarial e técnicas de vendas, incorporações imobiliárias, avaliação de imóveis, legislação, documentação e direito imobiliário; além de tendências do setor e o comportamento do consumidor.

De acordo com Margareth, a Pós-graduação, além de formar profissionais especialistas no segmento, procura entregar uma visão empreendedora:

– No Brasil, infelizmente, a gente não tem um ensino sobre empreendedorismo aprofundado, e a Pós-graduação em Negócios Imobiliários também tem o objetivo de ampliar essa visão ao corretor de imóveis. Fazer com que ele enxergue novas oportunidades e novos nichos de mercado.

 

UniCreci oferecerá Pós-graduação

 

E uma grande novidade para os corretores de imóveis vem por aí. É que o Creci-RJ desde 2013 tem implantado um programa de qualificação, aprimoramento e reciclagem constante para os profissionais corretores de imóveis. Ao todo, 675 cursos foram ofertados, com mais de 30 mil participantes nos últimos três anos, o que referenda o sucesso do projeto. E agora em 2016, o Conselho resolveu incrementar e inovar ainda mais e lançou a UniCreci, que é a continuação  do programa de aperfeiçoamento com a adesão de novos cursos de extensão universitária e com a Pós-graduação Lato Sensu em Negócios Imobiliários.

Toda a estrutura curricular será disponibilizada através de uma parceria inédita com a Universidade Severino Sombra e o corretor sairá com a certificação e chancela da instituição e também da UniCreci. Tudo isso de maneira gratuita ao profissional da intermediação imobiliária.

A primeira turma de Pós-graduação está agendada para começar em Maio e as aulas serão ministradas na Sede do Conselho.

Segundo o presidente do Creci-RJ, Manoel da Silveira Maia, essa oportunidade oferecida pelo Conselho é uma das prioridades da sua gestão:

– Nós entendemos que a sociedade tem reconhecido cada dia mais o corretor de imóveis como o único profissional a exercer a intermediação imobiliária. Para isso, a categoria precisa estar capacitada para que o atendimento seja completamente satisfatório. Visto que existem lacunas a serem preenchidas na formação do corretor, o Conselho montou esse programa para atender, organizar e esquematizar o aperfeiçoamento desses profissionais.

Para se inscrever nos cursos oferecidos é preciso acessar o site do Creci-RJ – www.creci-rj.gov.br.

 

A UniCreci no

cenário internacional

A Universidade Corporativa do CreciI-RJ (UniCreci) iniciativa pioneira no mercado imobiliário de todo o Brasil, vai se credenciar no Conselho Global de Universidades Corporativas (Global Council of Corporate Universities), e dentro em pouco estará interagindo com cerca de 5 mil instituições semelhantes sediadas em 54 países, todas empenhadas em contribuir estruturalmente para a educação profissional e trocas produtivas de experiências.

Os beneficiários desse intercâmbio de programas no plano internacional são os Corretores de Imóveis e estagiários e também as empresas imobiliárias, cujas vagas de trabalho se reduzem na medida em que não encontram pessoal com a qualificação requerida em face do avanço tecnológico e da globalização. Participar das atividades de uma universidade corporativa valoriza e dinamiza o perfil dos profissionais.

Para muitos, o termo universidade corporativa traz à mente o ambiente acadêmico. No cenário dos negócios, entretanto, a palavra universidade passa a envolver os esforços para capturar ou controlar a experiência coletiva e a sabedoria de uma organização, incluindo o “know-how” dos indivíduos, tornando-o acessível e útil para todos. Vale lembrar que o termo “universidade”, na modalidade corporativa,  não requer reconhecimento do Ministério da Educação.

Dentre as mais de 5 mil universidades corporativas existentes no planeta, pouquíssimas, entretanto, são aquelas empenhadas no atendimento das necessidades de um segmento econômico, como a UniCreci,  nascida em decorrência das grandes transformações políticas, econômicas, científicas, sociológicas e culturais das décadas recentes, exigindo do corretor imobiliário conhecimentos que vão da documentação à tecnologia dos drones, das casas populares aos edifícios inteligentes, e não  figuram no sistema educativo regular.

O país europeu com mais universidades corporativas é a França, que na década de 1980 criou cerca de 30, e muitas outras desde então. O “boom” é atribuído a uma lei, adotada em 1971, exigindo que os franceses apliquem 1,1% de seu salário na educação continuada. O Creci-RJ, que somente em 2015 desenvolveu mais de 400 cursos inteiramente gratuitos para os seus 16 mil participantes, tem na gratuidade mais uma característica de pioneirismo. Agora, em parceria com a Universidade Severino Sombra, a UniCreci oferecerá Pós-Graduação Lato Sensu em Gestão Imobiliária e cursos de extensão universitária.

A universidade corporativa emergiu no Século 21 como o setor que cresce mais rapidamente na oferta de ensino superior com objetivos específicos. No Brasil, companhias como a Vale do Rio Doce, Natura,  Caixa Econômica Federal, Sadia, Banco do Brasil, Citibank, Embratel, Volkswagen, Bank Boston são apontadas como “cases” de sucesso no preenchimento de lacunas  do aprendizado contínuo, propiciando ao seu pessoal algo que a universidade tradicional não pode acompanhar.

Os brasileiros têm obtido bons resultados no plano internacional: no dia 6 de junho de 2015, em Paris, a Universidade Corporativa Banco do Brasil (UniBB) recebeu o prêmio Global CCU Awards de melhor universidade corporativa do mundo, à frente de grandes empresas multinacionais, como Pirelli, Hilton Hotéis, Siberbank, Philips.

Em 2011, a universidade corporativa da Ernst Young, (líder global em serviços de auditoria, tributação, transações corporativas e consultoria), EYU University, foi escolhida como apoiadora oficial dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Dois anos depois, 2013, foi reconhecida pela quarta vez consecutiva como uma das três melhores universidades corporativas do Brasil. A Universidade Corporativa do Creci-RJ  entrará nesta corrida dos melhores tão logo obtenha o seu credenciamento, alinhando-se com business-schools como a da Daimler Chrysler, Lufthansa e Siemens, alemãs, British Steel e British Aerospace, britânicas, a Gazprom e Alfabank, russas.

O credenciamento compreende auto-avaliação e avaliação externa a cargo de agência internacional considerada apta de acordo com parâmetros de qualidade exigidos. Nos Estados Unidos, o processo é não-governamental e sem fins lucrativos, geralmente através da Commission on Recognition of Post-Secondary Accreditation, CORPA